O TESTEMUNHO DE COMEY
 

 


Senadores cochilam enquanto Comey solta a bomba sobre seus vazamentos

Bill OReilly

THE HILL

09/06/2017

Foi quase inacreditável ver James Comey afirmando calmamente, na frente do mundo, que ele vazou uma avaliação escrita de um encontro privado que teve com o presidente dos Estados Unidos. E uma dúzia de senadores que o estavam interrogando permanecerem sentados sem nenhuma reação. Quero dizer, era estranho. O ex-chefe do FBI apenas falava como se estivesse discutindo um filme que ele viu recentemente.

Deixe-me parafrasear a atitude de Comey sobre o memorando: "Ah, sim, foi ótimo. Eu acordei e disse uau!, eu tenho que mostrar o meu lado da história depois que eu fui demitido. Então, por que eu não dou uma cópia de um memorando privado que possa implicar o líder do mundo livre num possível encobrimento em relação à investigação sobre a Rússia? Já sei, vou dar a um amigo meu! "

"Sim, esta é a dica. Passarei o memorando privado, favorável para mim, mas prejudicial para o presidente, para o meu amigo, que o dará ao New York Times, um jornal que despreza o Presidente Trump até um ponto raramente visto neste planeta".

E foi exatamente esta a atitude de James Comey foi enquanto os senadores do Comitê de Inteligência cochilavam.

Nenhum deles disse: "Você fez o quê?"

Em vez disso, eles "foram em frente". Ninguém desafiou Comey sobre sua afirmação incrível.

Só depois de alguns jornalistas terem começado a tuitar sobre ao vazamento de segurança, que a verdadeira questão surgiu: o chefe do FBI, que foi encarregado de investigar os vazamento dos governantes, é ele mesmo um "vazador".

Uau!

Levou apenas alguns minutos para os idiotas da TV a cabo começarem a dizer que não era realmente um vazamento porque o memorando secreto de Comey não estava classificado. Mas como poderia ser classificado se Comey o mantivera longe do escrutínio federal formal? Este memorando era dele sozinho, não arquivado em nenhum lugar. Mas foi escrito num computador do FBI em horário de trabalho.

Rod Serling [*] teria deixado de fumar por esse script da Twilight Zone.

Poucas horas depois, o advogado particular do presidente Trump fez o escândalo: Comey violou a confiança do governo e ele mesmo poderia ser investigado.

Esta exposição é importante em várias frentes. Antes de sua admissão bomba, Comey testemunhou que o The New York Times imprimiu falsas histórias sobre a investigação russa, porque as coisas vazadas para o jornal eram falsas. O ex-chefe do FBI disse que não poderia refutar publicamente as histórias por causa da investigação em curso.

Mas isso é besteira. Os funcionários do governo têm o dever de dizer a verdade aos cidadãos americana. Se estávamos sendo enganados, o FBI não deveria simplesmente aceitar isso. Uma notícia falsa certamente deveria ser categorizada como ficção pelo FBI a qualquer momento.

Não é de admirar que o presidente Trump tenha ficado furioso sobre essa invenção sobre a Rússia e todos os vazamentos que a rodeiam.

Mas voltemos a este vazamento de Comey especificamente.

Se Jim (Comey) queria dizer o lado dele da história, por que ele não fez isso? Como um cidadão privado depois que ele foi demitido, ele poderia ter convocado uma conferência de imprensa ou mandar seu advogado responder a perguntas. Certo?

Mas nãoooooooooo!

Comey vazou coisas importantes de forma astuta.

Então, o que isso diz sobre ele?

Diz que ele estava meio perturbado, e eu devo dar crédito por estar nesta situação incrível. Em Washington, as relações de bastidores são comuns, então eu acho que é por isso que os senadores estavam comatosos quando Comey admitiu sua dissimulação.

Quero dizer, se um funcionário do governo russo tivesse feito isso com Putin, ele teria sido premiado com férias na Siberia.

Mesmo que o presidente Trump negue ter pedido a Comey sua lealdade, esse atributo agora está certamente em jogo. O Sr. Trump desconfiava de Comey e vice-versa. É melhor para o país que os dois estejam oficialmente separados.

O que não é melhor para o país é um ex-chefe do FBI que chama o Presidente de mentiroso e admita que ele tentou prejudicar o Sr. Trump ao vazar um ponto de vista prejudicial para um jornal hostil.

Os senadores do Intel Committee acabaram elogiando o patriotismo do Sr. Comey. Mas o que aconteceu com a honra e o comportamento sério? Não é esta a parte da equação patriótica?

Aparentemente, não mais.

[*] Roteirista norte-americano, criador da série The Twilight Zone (no Brasil, Além da Imaginação)

Tradução: Heitor De Paola