REINO UNIDO: MENINAS ESTUPRADAS DEVEM GUARDAR SEGREDO EM NOME DA DIVERSIDADE
 

 


Membro do parlamento britânico conhecida por criticar Trump retweeta Garotas abusadas deveriam calar suas bocas pelo bem da diversidade

BREIBART LONDON

A representante membro do parlamento britânico Naz Shah retweetou e curtiu um tweet que afirmava que as garotas que houvessem sido abusadas nas mãos de, principalmente, mulçumanos paquistaneses, deveriam “calar suas bocas pelo bem da diversidade”.

A senhora Shah, que alega que o ato foi um acidente, tinha anteriormente convidado o presidente americano Donald Trump para um passeio pelo seu distrito eleitoral de Bradford West.

O tweet – enviado a partir de uma conta “fake” que finge pertencer ao comentarista “alt-left” Owen Jones – dizia: “Aquelas garotas abusadas em Rotherham e em outros lugares apenas precisam calar as suas bocas. Pelo bem da diversidade.”

A sra. Shah em seguida deletou e descurtiu o tweet, mas não antes que usuários do Twitter capturassem as ações dela em suas telas.

Um porta-voz da sra. Shah falou ao jornal The Sun: “Isto foi um genuíno acidente oito dias atrás que foi retificado dentro de minutos. Insinuar outra coisa é um nonsense absoluto.”

“Sua ficha fala por si. Naz tem trabalhado por mais de 20 anos com questões de abuso infatil, violência contra as mulher e corrupção sexual, o que está bem documentado.”

Em janeiro de 2016, a sra. Shah usou sua posição como membro do parlamento para convidar o então candidato Trump a conhecer os “voluntários muçulmanos” da Human Appeal International, em uma tentativa de exercício de relações públicas para muçulmanos na Grã-Bretanha.

Como Breitbart London revelou, porém, a Human Appeal International tem conexões com a organização terrorista Hamas, e acolheu oradores amplamente criticados como extremistas Islâmicos.

Num debate em Westminster Hall a respeito da petição para banir o sr. Trump do Reino Unido, a sra. Shah disse:

“Eu convidaria Donald Trump para se juntar a nós na alimentação dos sem-teto na InTouch Foundation, instituição de caridade muçulmana que alimenta pessoas sem-teto na cidade de Bradford. Eu convidaria ele para conhecer os voluntários muçulmanos que ajudam no Human Appeal International, uma fundação sediada num distrito eleitoral coligado, e todas aquelas pessoas que trabalham juntas em questões que afetam a nós como nação e como povo, independentemente de nossa raça, sexo, etinia ou religião. É isto o que eu apresentaria a ele.”

Human Appeal recebeu oradores do tipo de Haitham al-Haddad, Raed Salah e Zahir Mahmood, tendo todos estes sido destacados por sua retórica “extremista”.

Sr. Salah foi o assunto de uma disputa de longa duração entre o governo Britânico e os tribunais do país. A então Ministra do Interior Theresa May tinha tentado retirar o sr. Salah do Reino Unido por seus comentários polêmicos, e ele foi condenado por um tribunal Israelense em 2014. O sr. Salah foi preso no Reino Unido enquanto tentava participar de uma reunião da Campanha da Solidariedade Palestina ao lado do membro do parlamento Jeremy Corbyn, que é hoje o líder do Labour Party, ao qual a senhora Shah pertence.

O Sr. Haddad discursou ao lado do Sr. Mahmood num evento da Human Appeal em 2011, tendo declarado: "Judeus ... são inimigos de Deus e descendentes de macacos e porcos".

A Human Appeal também anuncia suas posições no site do Conselho Muçulmano do Reino Unido (Muslim Council of Britain - MCB), uma organização frequentemente vinculada à Irmandade Muçulmana. Oficiais do MCB assinaram a "Declaração de Istambul" em 2009 - um documento que pedia ataques contra soldados britânicos e contra o povo judeu.

Um padrão nacional de gangues de estupradores e aliciadores predominantemente constituídos por muçulmanos paquistaneses emergiu após as primeiras acusações criminais em Rotherham e, em seguida, Rochdale, lugares nos quais uma "cultura do silêncio" e o politicamente correto conduziram à inação por parte de autoridades que temiam ser chamadas de "racistas".

Milhares de meninas foram estupradas e abusadas pelas gangues desde o final da década de 1980, com casos em grande parte ignorados até 2001.
Uma sobrevivente de estupro de Rotherham disse que as autoridades não fizeram nada e provocaram nela o sentimento de que ela era racista, ao dizerem especificamente para não comentar a etnia dos perpetradores.

Breitbart London também relatou na época:

“... Human Appeal foi listada em um relatório da CIA não verificado de 1996 dentre as "ONGs (organizações não-governamentais) com ligações terroristas". A Human Appeal rejeita a validade do documento e já disse à Breitbart London que é "falso", embora não respondeu a novos e-mails sobre o assunto a partir de junho de 2015.

No entanto, o documento foi citado pelo Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais em seu livro de 2007 "Entendendo as Instituições de Caridade Islâmicas".

O site da Australian Broadcasting Corporation também traz um relatório de 2003 que diz: "O documento, obtido pela Lateline, descreve uma estreita relação entre Human Appeal International [HAI] e Hamas, bem como com a instituição de caridade palestina baseada nos EUA, a Holy Land Foundation for Relief and Development (Fundação Terra Santa para Alívio e Desenvolvimento), que foi invadida e fechada três meses após os ataques de 11 de setembro ".

O Wikileaks também revelou um telegrama do Departamento de Estado datado de 2005 que dizia: "Em 2003, havia indícios de que a HAI estava enviando apoio financeiro a organizações associadas ao Hamas e que membros de seus escritórios de campo na Bósnia, Kosovo e Chechênia tinham conexões com associados da al-Qaida.”

O grupo foi proibido em 2012 de receber um evento em uma escola de Manchester, com o Departamento de Educação da Grã-Bretanha dizendo: "Desde que as preocupações sobre o HAI vieram à luz, Parrs Wood realizou pesquisas adicionais, incluindo a consulta de representantes locais da comunidade judaica. Como resultado, eles decidiram que a HAI ou outras instituições de caridade que parecem ter ligações com organizações políticas não estão autorizadas a usar a escola no futuro ".

Breitbart London também relatou ... como a sra. Shah convidou o Sr. Trump para que  visitasse o seu distrito eleitoral de Bradford ... apesar de um soldado ter sido encontrado "roubado e espancado" nas ruas da cidade neste fim de semana, e de relatórios anteriores de que um convertido cristão fora espancado por homens muçulmanos com picaretas.

A Sra. Shah usou um lenço de cabeça durante sua cerimônia de posse quando foi eleita ao Parlamento no ano passado e fez seu juramento sobre o Alcorão.

Tradução: Ageu Marinho